PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O arquétipo do Don Juan


Quem nunca ouviu falar de Don Juan de Marco, o sedutor de mulheres!! Gostaria de trazer um pouco de literatura que fala desse arquétipo que envolve esse personagem. O título puer aeternus significa "juventude eterna", mas na psicologia o usamos para identificar certo tipo de jovem que tem um complexo materno fora do comum e que, portanto, comporta-se de certas maneiras típicas tais como buscar várias mulheres. Falamos de um tipo de neurose que H. G. Baynes descreveu como "vida provisória"; isto é, a estranha atitude é a sensação que a mulher não é ainda a que ele realmente quer e há sempre uma fantasia que em algum momento no futuro a "mulher certa" aparecerá. Se essa atitude se prolonga, significa uma constante recusa interior de viver o presente. Seguindo esta neurose, encontramos freqüentemente, em nível maior ou menor, um redentor ou um portador do complexo de Messias, que tem o pensamento secreto de algum dia salvar o mundo. Crê que a última palavra em filosofia, ou religião, ou política, ou arte, ou alguma outra coisa, será descoberta por ele. Isso pode progredir para uma megalomania patológica típica, ou então pode haver alguns indícios da idéia que o tempo dele "ainda não chegou". A única situação que esse tipo de homem teme é a de se ligar a qualquer coisa. Há um medo terrível de se prender, de entrar no tempo e no espaço totalmente e de ser o ser humano específico que ele é. Há sempre o medo de ser pego em uma situação da qual seja impossível sair. Toda definição é para ele um inferno.
Em geral, a qualidade positiva de tais jovens é um certo tipo de espiritualidade que vem de um contato relativamente próximo com o inconsciente coletivo. Muitos têm o charme da juventude. Os pueri aeterni são geralmente muito agradáveis para conversar; eles usualmente têm assuntos interessantes e têm um efeito estimulante sobre um ouvinte; não gostam de situações convencionais; fazem perguntas profundas e vão direto à verdade; geralmente estão à procura da religião autêntica, uma procura típica do final da adolescência. Geralmente, o charme juvenil do puer aeternus se prolonga até os últimos estágios da vida. Portanto, pensando nesse tipo de homem, que se identifica com o arquétipo do puer aeternus, segundo Von Franz, permanece durante muito tempo como adolescente, isto é, todas aquelas características que são normais em um jovem de dezessete ou dezoito anos continuam na vida adulta, juntamente com uma grande dependência da mãe, na maioria dos casos. Na psicoterapia de homem puer aeternus, nao adianta orientá-lo no sentido de levar o mundo interior ou exterior a serio. O importante para ele é perserverar em alguma atividade pois eles tem a tendencia de não fazer as coisas do principio ao fim, e isso é muito importante para eles. O perigo é ele simplesmente colocar tudo dentro de uma caixa e fechar a tampa com um gesto de impaciencia. Eles sempre fazem isso no momento em que as coisas ficam dificeis. Von Franz mostra que é através do trabalho que o homem pode sair desse tipo de neurose juvenil e é apenas quando o ego se fortalece suficientemente que o problema poderá ser ultrapassado.

O livro "O Pequeno Príncipe traz em sua historia o problema da sombra do puer aeternus.

Agora, falando um pouco de Don Juan, ... é um personagem fictício, geralmente tido como símbolo da libertinagem. Sua repetida emergência nas artes e posteriormente na psicanálise- a conhecida problemática do donjuanismo que chamou a atenção de Freud- apontam para o fato de que Don Juan é uma figura mitológica, arquetípica, um arquétipo cultural do inconsciente coletivo a ser considerado. Qualquer forma de arte, assim como os mitos, são veículos para a expressão do inconsciente coletivo, e seus conteúdos, os arquétipos, como so definiu Jung. (para quem se interesse mais, procure e leia mais sobre a história dele).
O complexo de Don Juan - O distúrbio típico do homem que não se separou da mãe, segundo Jung. A imagem da mãe – a imagem da mulher perfeita que tudo dá ao homem e que não tem nenhum defeito – é procurada em todas as mulheres. Ele procura uma mãe-deusa, portanto, cada vez que se apaixona por uma mulher, mas logo descobre que ela é um ser humano comum. Por Ter sido atraído por ela sexualmente, toda paixão de repente desaparece e ele decepciona-se e a deixa, apenas para projetar a imagem novamente em outra mulher, sempre repetindo a mesma história. Eternamente sonha com a mulher maternal que o tomará nos braços e realizará todos os seus desejos. Isto é freqüentemente acompanhado pela atitude romântica da adolescência.

Geralmente,aparecem dificuldades de adaptação nas quais ele não tem necessidade de adaptar-se, pois as pessoas é que têm que adaptar-se a um gênio como ele e assim por diante. Além disso, assume uma atitude arrogante em relação aos outros, devido tanto ao complexo de inferioridade como a falsos sentimentos de superioridade. Tais pessoas têm grande dificuldade em encontrar o tipo certo de trabalho, pois tudo o que aparece é exatamente o tipo que queriam ou procuravam. Há sempre um "cabelo na sopa". A mulher nunca é a ideal; ela é legal como namorada, mas... Há sempre um "mas" que não o deixa casar-se ou comprometer-se.


Portanto, geralmente, encontra-se no puer um homem que é frio e brutal, compensando uma atitude idealista em excesso de sua consciência e que o puer aeternus não consegue assimilar voluntariamente. Por exemplo, no tipo Don Juan, encontramos uma brutalidade fria como gelo sem nenhum sentimento humano para com a amante antiga e o entusiasmo sentimental total é transferido para outra mulher. Fiquem atentas meninas, o Don Juan é muito sedutor mas um tanto complexo.

Veja o artigo: Don Juan 2: o homem em fuga (continuação deste)

Para saber mais:
-(*) Comunicação em mesa redonda, após a exibição do filme, promovida pelo Instituto de Medicina Psicossomática do Rio de Janeiro, na Casa de Cultura Lauro Alvim- Rio, abril de 1997 - postado no site: www.ajb.org.br/jung-rj/artigos/docs/donjuan.doc
- Partes do Livro: "Puer Aeternus", de Marie-Louise von Franz
- Imagem da Net

5 comentários:

  1. Excelente texto, bastante elucidativo.

    ResponderExcluir
  2. Acho que me relaciono com um tipo desse... SOCORRO!!! rs

    ResponderExcluir
  3. Eiitaaaaa. Fiquei com medo agora , ; reciso de terapia. Valeu.

    ResponderExcluir
  4. Excelente! Me identifiquei com o personagem... Infelizmente! Isso tem cura???

    ResponderExcluir
  5. Pra quem se identifica ou conhece alguém assim, busquem mais informações pois alguém de fora, que conhece o assunto, pode ajudar a ver melhor quais são os limites, de que forma voces vivenciam isso. O texto se refere ao extremo, ao arquetípico, ao potencial para.... identificar características não necessariamente quer dizer que é patológico. Mas com certeza pode ter muito sofrimento envolvido portanto, busquem auto conhecimento. abçs

    ResponderExcluir