PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

sábado, 12 de março de 2011

O amor Cristão... Existe?


Diz o poeta que o amor doi... nós que temos tanta tendencia para fugir da dor, esquecemos de que muita coisa na vida so se resolve enfrentando a dor e não fugindo... mas como enfrentar tanta dor... Vi o filme Comer, Rezar e Amar e achei lindo o modo como a protagonista (baseado em fatos reais) enfrenta sua dor e vai atrás de si mesma... E nessa busca ela se questiona o tempo todo onde encontrar a felicidade e o amor que tanto busca... Na minha história, acabei acreditando que amor é acima de tudo aceitar o outro como ele realmente é. Não é a toa que me tornei psicóloga. Mas essa escolha foi feita através da dor e não da escolha simples... E por ironia do destino, essa dor sempre fez parte da minha história... Era como se a vida me colocasse na situação de não ser aceita, de ser constantemente cobrada e desrespeitada, so pra me dizer: "vamos la, quero ver se voce esta mesmo convicta de que isso é amor pra voce, quero ver se voce é mesmo capaz de amar, acima de tudo, de interesses, de luxurias, vaidades, enfim, quero ver se seu amor é verdadeiro, se voce é mesmo assim".
Com o trabalho no consultorio, me deparo diariamente com as pessoas que me permitem a honra e o prazer de compartilhar de suas vidas e seus sentimentos e descubro diversas formas de vivenciar sentimentos e de amar. Quanto a forma de amar acredito que há varias e não vejo problemas nisso, so precisamos reconhece-las, e muitas vezes aceita-las. Mas o que me chama atencão as vezes é que vejo pessoas tentando escolher quem amar... Será que nós humanos, principalmente nós ocidentais, controladores de tudo, não nos esforçamos para controlar isso tambem? Voce ja pensou nisso, voce escolhe quem vai amar? Será que voce tende a querer amar mais aqueles com os quais se identifica? Será que voce tende a querer amar mais aqueles que fazem algo por voce, que voce admira? Nossa cultura, permeada basicamente pelo cristianismo, deveria entender que isso não é amor, pelo menos não é no sentido cristão de ser. O Amor verdadeiro ultrapassa os limites da escolha e do controle. Se voce so ama o que te serve, então so ama a si mesmo... e talvez nem isso porque tende a estabelecer um relacionamento de troca e isso é negócio e não amor.
A historia cristã tambem me da base para ver o amor dessa forma. O filme fala de uma cultura diferente mas pra mim tem muito a ver com o verdadeiro Cristianismo, não o que vivenciamos hoje, mas o que realmente foi deixado por Cristo. Amor mais genuino do que a de um homem que se deixa cruxificar para virar historia e referencia para os que sofrem... é um amor não visto, não valorizado, não respeitado, apedrejado, que o machucou muito mas que ele, somente por amor, sofreu e aguentou. Não acho que a história de Cristo seja uma história a ser seguida (seguida sim na forma de amar, mas não na necessidade de se cruxificar para que isso ocorra), que temos que passar por essa dor do amor de forma tão intensa mas ela deve ser, com certeza, elaborada, ela deve nos influenciar para que possamos amar melhor e usufruir mais do amor. Amores incondicionais não são respeitados, valorizados, são muitas vezes motivos de chacota e torna a pessoa que ama um trouxa e um fraco. Ao inves de ter o mesmo amor como retorno, os olhos do outro não te admiram por isso, o retorno que se tem quando se ama incondicionalmente é a cruxifixão e o desprezo. Esse é o mundo em que vivemos.
Mesmo para quem não é religioso, pode saber que a historia cristã faz parte do imaginario humano portanto faz parte de todos nós nessa condição. Até que chegue o momento em que as pessoas absorvam o verdadeiro sentido dessa historia e consigam vivencia-la além de somente ouvi-la e entende-la, estaremos numa luta cheia de batalhas onde nossas conquistas serão diárias e talvez tenham que ser reconquistadas a cada dia, a cada dor, a cada tombo. Liz descobriu que so conseguiria o que buscava para si quando amasse si mesmo, independente do olhar do outro... mas ela não poderia sem encontrar sem o outro... ela só conseguiu se entregar a reza indiana quando dedicou a mesma á jovem que queria casar; ela se encontrou quando recebeu de aniversário dinheiro suficiente para comprar uma casa para a divorciada em Bali, ela se curou através do outro.
Mas no nosso mundo, quando achamos que encontramos um amor cristão, no outro dia estamos la de novo, decepcionados, frustrados, levando paulada da vida, sofrendo, e de gota em gota, tentamos fazer com que isso finalmente se torne parte de nós e de nossos corações de uma vez por todas.... Não sei se isso vai mudar ou quando mudará mas luto por isso... agora, pra mim, é um caminho sem volta, talvez o unico que eu ache válido.

"É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado." Madre Teresa de Calcutá


"Às vezes perder o equilíbrio por amor faz parte de uma vida equilibrada." (Comer, Rezar, Amar)


Filme: Comer, Rezar e Amar. (lindo)

Um comentário:

  1. "A PROCURA DO AMOR É CONSTANTE E CANSATIVA, MAS O HOMEM CONTINUA PROCURANDO. BENDITO SEJA AQUELE Q SABE AMAR, SEM CONTAR JESUS CRISTO, CLARO".

    ResponderExcluir