PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de março de 2011

O alivio da dor....


A cada dia que passa criamos padrões para nos relacionar, esquemas para nos colocar em relacionamentos, limites para tentar deixar entrar pessoas em nosso coração com um minimo de proteção possivel.
Então vamos descobrindo que a proteção é ilusória, quando pensamos que nossos limites estão nos defendendo, na verdade tudo o que tinha que acontecer ja esta acontecendo. E quando nos damos conta disso, muitas vezes entramos em desespero pois nem sempre temos internalizado em nossa alma a segurança e a confiança que deveriamos ter... Nem sempre crescemos ouvindo de nossos cuidadores que temos alguem nesse mundo que confia, que acredita em nós. Ao contrário, muitas vezes so tivemos apostas em nossa fraqueza e temos que realizar o milagre de desacreditar de tudo e de todos para seguir nosso coração... Então passamos para a dificil missão de buscar esta confiança sozinhos... ao longo da jornada. E cada vez que alguém toca nossa dor mais profunda, caimos de joelhos, choramos, buscamos forças nos lugares mais longiquos e imaginarios, levantamos e seguimos com o peito apertado, os olhos vermelhos e molhados. Precisamos respirar fundo, olhar ao lado, olhar pra frente e recomeçar. Muitas vezes encontramos um colo que talvez nunca nos entenda, talvez até nos discrimine e se envergonhe de nós, mas quase como por um milagre, sem explicação nenhuma, decide estar ali, apenas estar ali e acolher aquela dor estranha e inexplicavel. Parece que por um segundo alguem é iluminado por algo que está acima de tudo o que conhecemos e nos refresca, nos acolhe. Mas no final das contas, a força maior tem que ser nossa, temos que levantar a cabeça e voltar para a batalha. apoiados em si proprio. O corpo e a alma ja não são mais as mesmas, marcadas pela dor, se renova, se reconstroi e enquanto decide continuar lutando, vai erguendo musculos em todo sua volta e buscando esperança em cada pequeno detalhe da vida. Todos os dias vejo historias assim e espero que possa ser sempre esse colo pra quem precisar. Um colo sem preconceito, sem discriminação, sem julgamentos... Mas por saber que o colo é verdadeiro, mesmo quando talvez eu não possa entender a tua dor, saiba com toda certeza, que estarei sempre ali, te esperando, te olhando.



"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento." Clarice Lispector
imagem da net

Nenhum comentário:

Postar um comentário