PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

sábado, 18 de agosto de 2012

Filhos do Pai e Filhos da Mãe




Na teoria Junguiana, complexo é um núcleo de afeto... portanto todos nós temos complexos, alguns positivos outros negativos. Falando de complexos ligados á relação com o paterno e com o materno, percebemos que algumas pessoas são as típicas "Filhas do Pai" assim como outras são "Filhas da mãe". Eu explico:

Filhos do Pai - pessoas que são regradas demais, disciplinadas em excesso, que possuem uma dinamica interna muito rigida. São áusteros, severos consigo mesmos. Acabam agindo no dia a dia como pessoas que cobram demais dos outros e de si, controladoras do mundo, de suas ações e das ações dos que estão ao seu redor. Gastam muita energia tentando controlar tudo e todos e buscam com isso, sentir-se mais seguras.
Dica para essas pessoas: precisam aprender a dançar, a se soltar mais, a dar espaço para a espontaneidade, a usufruir da gratuidade da vida, precisam aprender a nutrir a alma (muitas não conseguem nem nutrir o próprio corpo), sentir prazer atraves do corpo, deixar fluir. Vemos a energia dionisiaca agindo nessa psique mas de uma forma sombria, negada. São pessoas com tendencia a negar seus corpos, muitas vezes nem comem, não descansam. São pessoas comandadas pela cabeça e somente vão sentir seus corpos na exaustão.
" FALTAM ASAS "

Filhos da Mãe: pessoas regidas pelo complexo materno são leves demais, livres demais, não criam raizes em lugar nenhum, muitas vezes com pessoas nenhuma, sempre falta algo, são internamente desorganizadas, não se adaptam facil, indisciplinadas, odeiam seguir regras. Muitas vezes se tornam dependentes demais ou dão trabalho a outras pessoas pois não colaboram, não se colocam no lugar do outro. Eles costumam ser bem criativos mas tem muitas dificuldades para lidar com a vida prática principalmente para lidar com seu tempo e seu dinheiro. Parecem querer viver só de prazer. Algumas vezes podem não conseguir ter empatia e não conseguir se colocar no lugar do outro, ou seja, incluir o outro em suas ações e permissões.
Dica para essas pessoas: aprendam a adiar a gratificação, saibam que as vezes temos que renunciar a prazeres imediatos, temos que aprender a disciplinar nossas aptidões, impulsos e desejos e não nos esquecer de incluir o outro. Estas são pessoas propícias a serem pegas pelos vícios (bebida, comida, sexo, compras) e só conseguirão se livrar disso caso aprendam a incluir em suas vidas um pouco de disciplina.

DISCIPLINA - DISCIPULO - AQUELE QUE SEGUE

"FALTAM RAÍZES "

Existem algumas pessoas que oscilam entre rigidez e permissividade.

Bjus, bjus

Referencia: Corpo: prazer, dor e luz (Anna Patrícia)
Imagem: net (www.not1.com.br e www.g-sat.net)

Nenhum comentário:

Postar um comentário