PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

sábado, 25 de junho de 2011

Fazer escolhas...




Fazemos escolhas o tempo todo... algumas com a razão, outras com o coração, outras com as dores, outras pelos amores, outras por nós e tantos outras por aqueles que amamos.

Ás vezes é muito dificil lidarmos com as consequências de nossas escolhas... por mais que possamos nos perdoar quando as coisas não acontecerem do jeito que planejamos, ainda assim é dificil enfrentá-las. Outras vezes, como elas nos trazem dor, acreditamos que erramos... será? Tem muita coisa nessa vida que só conquistamos através da dor... não sei se isso é justo mas é o que eu vejo todos os dias, nas histórias de muita gente... Parece que não temos como fugir da cruz.

Cada escolha que fazemos, em se falando de relacionamentos afetivos, gera sempre algo no outro que nem sempre poderemos ver ou calcular: será bom ou ruim, de que forma o afetará, quais serão as reais consequências. As vezes simplesmente fazemos o melhor que pudemos.

Imagine uma mãe que precisou deixar um filho com alguém para ir embora, trabalhar... o filho irá sentir que ela não o escolheu, que o abandonou... muitas vezes isso parece injusto e estranho mas quando nos afastamos, podemos perceber que muitas outras coisas aconteceram ao redor dessa escolha.

Acredito que quando escolhemos, o mundo se move, o mundo muda... um sopro seu poderá causar um furacão do outro lado do mundo, unido a tantos outros sopros. Quando acreditamos nisso e nos apegamos a esse algo maior que nós, normalmente parece que o sofrimento é menor e os resultados são mais lucrativos. Mudanças positivas realmente acontecem.

No nosso exemplo, a mãe pode até chorar por não ter feito a escolha certa mas o universo jamais a deixou sozinha. Ele estava lá, muitas vezes conduzindo as coisas para ela... no final ela talvez não perceba , mas seu amor protegeu seu filho de uma certa forma. Não aconteceu da forma correta, mas quem disse que esse mundo é correto?

O duro de crescer é ter a consciência que essa mãe teve, depois de muito tempo: que a responsabilidade de nossas escolhas é sempre nossa, de mais ninguém.

Mas não podemos nos esquecer de que o universo conspira a favor dos homens bons... Fazer escolhas não é fácil mas se formos capaz de ouvir o que ha de mais profundo em nós, de ouvir o que o universo espera de nós, talvez percebamos que ele nem sempre nos da aquilo que escolhemos mas muitas vezes ele nos da muito além daquilo que imaginávamos ser possível receber.

Abra seus olhos e seu coração... aprenda a receber o que Deus tem realmente pra voce e não espere que venha da maneira que você imaginou... Nunca vem mas sempre é bem maior e melhor do que voce esperava!!!

Bjus, bjus.


A historia contada é apenas um exemplo, fictícia.
imagem - http://amaivos.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário