PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013




Levamos tanto tempo para aprender e aprendemos tantas coisas ao longo dessa breve vida... mas o que aprendemos no dia-a-dia realmente nos ajuda?
Na nossa cultura, muitas vezes aprendemos que homem não chora; que só seremos felizes magros; que estamos na era da felicidade  portanto não há espaço para sofrimento, que o outro 'tem' que me entender sempre, ou tem que corresponder as minhas expectativas para que eu seja feliz; que devemos enterrar rapidamente nossos mortos e não se usa mais chorar por eles afinal, luto é besteira...
Aprendemos que ter medo é coisa de fraco; que criança que sente raiva é má; que ser feliz é "não ter limites"; que não devemos dizer que amamos nossos maridos para que eles não achem que estão com a 'bola toda' e nos abandonem; que  não devemos nunca demonstrar sentimentos ás crianças para que elas nos respeitem; que não devemos falar "não" a nossos filhos para que eles não fiquem traumatizados....
Aprendemos que sentimento deve ser controlado a todo custo; que, só o fato de você pensar positivo, fará com que tudo de certo sempre; que a melhor defesa é o ataque; que coisas espirituais só existem dentro da igreja; que pecar tem a ver somente com 'quebras de regras'; que se formos 'bonzinhos' nada de errado irá ocorrer em nossa vida; que a vida é sempre justa; que tirar vantagem de algo (ou de alguém) é ser esperto e nos fará crescer....
Enfim aprendemos tantas coisas e vivemos em função dessas crenças sem sequer saber o quanto isso tem de verdade, de validade em nossa existencia.... ao ler, você pode até achar algumas dessas crenças absurdas mas se olhar bem de perto, talvez se pegue agindo em função delas muitas vezes, mesmo sem perceber.
É trabalhoso aprender... contudo é difícilimo “desaprender”  e 'reaprender' a lidar com crenças estabelecidas.... mas muitas vezes torna-se necessário reavaliá-las, recria-las ou até mesmo abandona-las de vez. Temos a tendencia de seguir padrões pré estabelecidos mas se não formos capazes de criar nossos próprios padrões, ficaremos eternamente repetindo a história de nossos avós.... será que isso é bom? 

“Voltei-me e vi debaixo do sol que não é dos ligeiros  a carreira, nem dos valentes a peleja, nem tão pouco dos sábios o pão, nem ainda dos prudentes a riqueza, nem dos entendidos o favor, mas que o tempo e a sorte pertencem a todos.”
ECL 9,11

Foto da Net; assistam "Quando Nietzsche chorou" e vejam as reflexóes desse genio a respeito de descobrirmos e seguirmos nossa própria história.




Nenhum comentário:

Postar um comentário