PSICOLOGIA

PSICOLOGIA
PSICOLOGA LUCIANA VOOS CRP 06/75105

Pesquisar este blog

domingo, 15 de novembro de 2015

HOJE PRECISO DE MIM MESMA.....



Hoje me permito sentir qualquer sentimento!!!!!
Aprendi que fugir dos meus sentimentos so os escondem "embaixo do tapete". Estarão sempre lá.

Antes imaginava que se eu sentisse minha tristeza, ela me afundaria em um poço sem fundo. E isso era uma verdade quando eu era apenas uma menina.
Hoje eu sou maior do que minha tristeza. Hoje tenho o conhecimento e a capacidade para processar sentimentos intensos...
Sim, carregamos nossas dores dentro de nós mesmo quando adultos.... durante muito tempo de nossas vidas. Bloquear essa dor foi nossa única chance de conseguir lidar com ela até então.... quando mais jovens, éramos indefesos diante dela. Mas o bloqueio a tornou um sofrimento inconsciente.

Aprendi a deixar "seguranças" para traz... que não me salvavam... apenas me seguravam... eu fui viver, ter diferentes experiências.  Fui me encontrar ativamente comigo mesma, comprometer me com meu desenvolvimento, abrir me ao que estava sentindo. Isso tem me libertado do domínio dos meus sentimentos.

Não estou dizendo que é facil.... e muito menos que ja cheguei em um ponto em que tudo foi resolvido (se é que existe isso!!!). Estou dizendo apenas que me permito que a experiencia ocorra... e aos poucos os nós vão se desatando. Me permito a experimentar a mim mesma de forma mais profunda e mais fundamentada.

Meus sentimentos são dolorosos muitas vezes mas eu me comprometo com eles.... Minha natureza essencial, oculta na profundidade de minha alma, por baixo dos sentimentos turbulentos e tempestuosos, possui um grande poder de cura, uma força essencial.

Eu dou espaço para meus sentimentos respirarem, deixo eles virem... não os nego... Reconheço minha tristeza, medos, confusão ou perturbação com calma, sem julgamentos. Apenas os reconheço: Sim, é isto que está aqui. Me deixo repousar nesse espaço que dou a eles. Sou  bondosa e compreensiva com eles.... acredito que muitos dos sentimentos desagradáveis que temos tem uma base forte no desamor ou no medo dele. Quando aceito a possibilidade do desamor sem impor barreira contra ele estou dando um passo a frente para supera lo.

Quando me coloco a disposição para ouvir e acolher meus sentimentos, provo que tenho o amor mais importante de todos: o amor próprio! Sem ele não nos abrimos ao amor do outro.

"Quando voce se abre para a experiência, seu ser se abre para voce. E quando o ser mais amplo que voce realmente é se revela, voce tem a experiencia de sentir-se confortavel consigo mesmo. Estando á vontade consigo mesmo, voce tem acesso a suas capacidades inatas - força, aceitação, paz, compaixão - , que o ajudam a se conectar e se relacionar com aquilo pelo que esta passando."

Eu vivo de maneira livre e expansiva, me permito ser quem sou, não enjaulo mais minha alma mantendo um conceito único de quem eu sou ou devo ser.

Eu habito em mim com satisfação e gratidão, celebro a presença viva que sou e digo sim a mim mesma. Para isso muitas vezes preciso aceitar o ser confuso e imperfeito que sou.

Não rejeite nada que voce esteja experimentando. Sim estou triste! Sim estou sendo mesquinha! Sim estou confusa! Estou assim mas não me identifico com nenhum estado mental pelo qual estou passando!

Eu me compreendo, eu aprecio o que é meu. É o meu olhar e o modo como lido com aquilo que posso ser que fará a diferença em minha vida!



Esse texto não traz palavras minhas e sim de John Welwood no livro AMOR PERFEITO RELACIONAMENTOS IMPERFEITOS, 2006,  Editora Gaia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário